Palmira Bastos

Palmira Bastos

1875 – 1967

Maria da Conceição Martinez de Sousa Bastos, que nasceu na Aldeia Gavinha, Alenquer, a 30 de Maio de 1875 e faleceu em Lisboa, a 10 de Maio de 1967. Foi uma das mais conhecidas atrizes portuguesas. Casou em 1894 com o empresário teatral António de Sousa Bastos. Casou segunda vez com António Almeida da Cruz.  A sua estreia como actriz deu-se em 18 de Julho de 1890, com a peça O Reino das Mulheres de E. Blum, no Teatro da Rua dos Condes. Esta estreia foi o início de uma longa carreira de 75 anos de dedicação ao teatro, que terminou com a sua participação na peça O Ciclone em 15 de Dezembro de 1966.

Participou ainda no filme mudo O Destino em 1922. Representou no Teatro Nacional D. Maria II, na Companhia Amélia Rey Colaço-Robles Monteiro e na Companhia Palmira Bastos-Alexandre d’Azevedo.

Em 1966 regista-se a última peça com que Palmira Bastos apareceu nos ecrãs de televisão “As Árvores Morrem de Pé”, de Alejandro Casona, que esteve em cena no Teatro Avenida.

Fonte: Wikipédia